HÓQUEI MINHOTO

HÓQUEI MINHOTO
HÓQUEI MINHOTO

7.22.2013

Ricardo Cunha sofre consequências de lutar pelo seus direitos - De Ponte de Lima ainda nada...






Mais de 48 horas e nada de Ponte de Lima.

Passadas que estão mais de 48 horas após ter terminado a greve de fome em Ponte de Lima onde durante seis dias esteve no campo do Cruzeiro reclamado 1150 euros de dois meses e meio de trabalho na AD Os Limianos da época que terminou no passado dia 8 de Junho de 2013, Ricardo Cunha encontra-se em casa a recuperar das mazelas, pensando também nos muitos amigos que fez.

" Os malefícios do que fiz estão a fazer-se sentir de uma forma bastante forte. Tenho tentado descansar e estar com a família e alguns amigos. Mais de 120 horas sem comer e oito quilos a menos no corpo. Os médicos disseram que parei na altura certa Quero agradecer a todos do fundo do coração. Foram todos um exemplo que algumas pessoas infelizmente não tem nossa sociedade. Senti junto de todos os habitantes de Ponte de Lima um carinho, uma protecção que jamais esquecerei na minha vida. A claque foi formidável nunca me deixando sozinho".

Após a greve de fome Ricardo Cunha não ter permitido receber a divida, promete continuar a lutar.
" Se pensam que desistiu, enganam-se. Apenas terminei a greve de fome mas ainda não acabei de lutar para receber os meus direitos. Continuo sem receber os 1150 euros que a AD Os Limianos me deve do meu trabalho. A divida podia ser maior mas antes de iniciar a minha luta foi feita uma transferência bancaria de 150 euros. Se não tivessem feito a dividia seria nesta altura maior. Vou continuar a lutar porque no fim do mês tenho de ir para Angola. Em cinco dias da parte da AD Os Limianos tem uma visita, um telefone ou uma sms. Eu estive lá a reclamar o meu dinheiro e quem de direito nem a sua sombra..."

Sem comentários:

Enviar um comentário