Final Four da Taça de Portugal

Final Four da Taça de Portugal
Final Four da Taça de Portugal

12.07.2015

Taça de Portugal - Vila Praia de "ouro " afunda Marítimo da prova

Hoquei Minhoto/Carlos Teixeira

A primeira eliminatória da Taça de Portugal colocou frente a frente em Vila Praia de Ancora, os primeiros classificados da terceira divisão, zona norte, a equipa minhota do ADJ Vila Praia e o Marítimo da Madeira.
Numa grande partida de hóquei, o Vila Praia segue em frente após vencer por 8-7 no golo de ouro a equipa insular que no Minho realizou o seu terceiro jogo seguido no continente, dois para o campeonato e um em Vila Praia para a Taça

Nota para o enorme fair play do Marítimo que num remate à baliza minhota viu a bola não entrar apesar do árbitro ter dado golo. 
O jogador em questão, Sandro Freitas ao ver ser validado o lance foi o próprio a dizer que a bola não entrou. Nessa altura o Marítimo podia ter passado para a frente do marcador e talvez tivesse garantido a passagem da sua equipa à próxima eliminatória.

O jogo começou com o Marítimo adiantou-se no marcador logo aos 2' por Sandro Freitas, mas o Vila Praia empatou aos 7' na recarga a uma grande penalidade através de César Pinheiro.
Num ritmo intenso a turma insular em contra ataque voltou a ganhar vantagem e logo por dois golos apontados por Pedro Moniz ainda dentro dos primeiros dez minutos.
A reacção da equipa de Rui Neto começou aos 15' com César Pinheiro a reduzir e Telmo Ramos de livre direto a empatar aos 17'.
Sem abrandar o Vila Praia deu a cambalhota no resultado por César Pinheiro aos 18' e ampliou por Rafael Almeida para 5-3 aos 21'.
Antes do descanso mais dois golos, um para cada lado, primeiro golo  do Vila Praia por Telmo Ramos em lance onde o Marítimo estava com menos um jogador por azul mostrado a Sandro Freitas por protestos e depois por Mário Brazão a dois segundos do apito da mesa, colocando em 6-4.
A segunda parte mostrou um Marítimo a procurar reduzir o resultado mas foi o Vila Praia aos 5' a aumentar para 7-4 por Telmo Ramos.
Em toada de parada e resposta por ser um jogo a eliminar, o Marítimo podia ter reduzido aos 8' mas Pedro Ferraz falhou um livre direto por azul a Rudy e aos 10' desperdiçou igual infracção pela 15ª falta dos minhotos.
Depois de ameaçar o Marítimo acabou por marcar aos 15' e por duas vezes Mário Brazão e Sandro Freitas.
A seguir Duda viu o cartão azul por protestos, originado um livre direto que foi desperdiçado por Sandro Freitas a seis minutos do fim
Com apenas um golo de diferença a emoção foi enorme e as oportunidades de golo foram uma constante em ambas as balizas, obrigando os dois guarda redes a excelentes defesas.
Numa dessas situações o guarda redes do Marítimo brilhou ao defender um livre direto de Telmo Ramos após a 15ª falta insular.
Do outro lado Miguel Lima não foi capaz de evitar o empate aos 20' a remate de Sandro Freitas por azul exibido a César Pinheiro.
Com a igualdade a sete tentos e com apenas cinco minutos para se jogar o ritmo abrandou um pouco , mas a 20ª falta do Vila Praia não foi aproveitada por Sandro Freitas, situação que podia ter sido decisiva para o resto do tempo, levando a partida para o prolongamento.
No tempo extra o Vila Praia beneficiou de uma grande penalidade muito discutida pelo Marítimo por bola presa pelo guarda redes insular João Queiroz , tendo César Pinheiro fuzilado e feito o golo de ouro, apurando os minhotos para a segunda eliminatória da Taça.
Para um jogo desta importância deveria ter sido escalado um juiz de melhor qualidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário