Final Four da Liga Europeia

Final Four da Liga Europeia
Final Four da Liga Europeia

8.27.2018

Guilherme Silva está de volta " Só me chamam " Muro " os amigos que fiz na modalidade ".



Afastado da modalidade desde a época 2013/2014, altura em que deu por terminada a sua carreira como guarda redes no HC Braga aos quarenta e três anos, Guilherme Silva, para muitos conhecido pelo " MURO ", está de volta, agora para treinar guarda redes, posição que defendeu durante muitos anos pelo sete clubes por onde passou.

Os clubes foram.
Camadas jovens
Hóquei Clube Águias do Porto (5 anos), FC Porto (8 anos).
Seniores
Óquei Clube de Barcelos ( 12 anos), Gulpilhares (2 anos), UD Oliveirense ( 1 ano), Follonica ( 3 anos) (Itália) e Hóquei Clube de Braga (6 anos).


Com um invejável e recheado palmarés, quer de clubes, quer pela seleção nacional, Guilherme Silva está de volta, abraçando o projeto do Famalicense onde irá orientar os guarda redes do clube minhoto, conforme referiu em exclusivo ao Hóquei Minhoto.
Nesta entrevista, Guilherme Silva falou do passado, do presente e do futuro do hóquei em patins português.


Foi estranho para muitos o afastamento repentino do Guilherme da modalidade. Qual foi a principal razão ?




" O tempo ausente da modalidade foi só por opção minha. Agora que passaram quatro anos e deu-se este convite do Famalicense para treinar e ajudar a formar novos guarda redes, resolvi aceitar.
É um projeto que se enquadra naquilo que eu gosto e já tinha feito tanto em Itália como no HC Braga ".

Ao longo desta ausência, nunca deixou de acompanhar e ver hóquei. Considera que Portugal continua a ser uma grande montra de jogadores de hóquei em patins, apesar de vinda de estrangeiros, deixando um conselho aos mais novos.


Os estrangeiros, na minha opinião, se são contratados é porque os treinadores e respectivos dirigentes acham que não existem melhores jogadores portugueses o que é sempre muito subjetivo.
Em relação aos novos valores, o meu conselho, se me permitem, é que trabalhem no duro, sejam dedicados e persistentes, porque se tiverem qualidade suficiente chegam aos seus objetivos e não há jogadores estrangeiros que os impeçam.
Acho que continua em bom nível. Com bons valores nacionais e estrangeiros. Tem havido um investimento dos clubes com poderio financeiro e tem continuado a haver um equilíbrio entre qualidade e contenção de custos para os outros clubes menos abonados. Os valores têm continuado a aparecer e têm mantido a tradição de bons jogadores portugueses de hóquei ".



Agora que podemos esperar do " Muro " neste projeto do Famalicense ? É um ponto de partida para um treinador de futuro a nível sénior?

" Podem esperar um trabalho com normalidade, sem pretensões para mais nada, somente com o intuito de ajudar a formar e ajudar a desenvolver os guarda redes do FAC...
Se responder com os dados que tenho ao dia de hoje, digo que não, mas como não tenho uma bola de cristal, podemos voltar a falar no fim da época !!! ".


Muitos foram os títulos, muitas foram alegrias e também algumas tristezas. Como recordas a tua carreira ?
" As boas recordações são todas, desde que calcei os patins pela primeira vez, foi uma sensação única e estendeu-se até ao último dia que joguei. 
Nunca pensei que seria possível jogar com os jogadores de top, tanto em Portugal, como em Itália e juntos, termos conseguido ganhar, tanto a nível de seleção como a nível de clubes.
Por isso, sou muito agradecido a todos eles e todos os técnicos com quem tive a oportunidade de trabalhar.
As más recordações, são sem dúvidas as lesões que tive no pulso em 1998 e nos joelhos em 2000 e 2001, que puseram naquela altura em risco a continuidade de jogar hóquei ".

De onde vem a alcunha de " Muro ". Sempre é verdade que ainda te cruzas com adeptos da modalidade e tem chamam " Muro " ?
" Foram os irmãos Bertolucci quando jogaram no Barcelos que me começaram a chamar assim e depois em Itália " já " só me chamavam assim.
Para eles também era difícil dizer "GUILHERME", ficavam com um nó na língua ( risos ). Já "muro" era curto e certeiro e assim ficou.
Depois no Braga o Vítor Silva também me chamava por "gentileza" e os outros por "repetição" e foi ficando...
Só me chamam "muro" os amigos que felizmente fiz no hóquei, e como são muito simpáticos tratam-me dessa maneira, que eu considero exagerada, mas agradeço essa amabilidade da parte deles ".

Um agradecimento ao Guilherme Silva pela disponibilidade em falar e expressar a sua paixão pelo Hóquei em patins ao Hóquei Minhoto.

Um palmares invejável onde durante a sua carreira ganhou tudo o que na altura era possível vencer.

Palmares, Títulos Conquistados:

Campeão Nacional                                                     
83/84-Infantis
85/86- Iniciados
86/87- Juvenis
87/88- Juniores
88/89- Juniores
89/90- Juniores

Seniores: (PORTUGAL)

Campeão Nacional – 92/93 – 95/96                                       
Taça Portugal – 91/92 – 92/93
Supertaça Portugal – 93/94
Supertaça António Livramento – 99/00
Taça dos Campeões Europeus – 90/91
Taça CERS – 94/95
Taça dos Vencedores das Taças – 92/93
Supertaça Europeia – 91/92
Taça Intercontinental – 91/92
                    
 ITÀLIA:

Campeão Italiano – 05/06 – 06/07 – 07/08
Taça de Itália – 05/06 – 06/07 – 07/08
Supertaça Italiana – 05/06 – 06/07
Liga Europeia – 05/06
Taça Intercontinental – 06/07

Selecção Nacional:

122 Internacionalizações

Campeão do Mundo – 1993 – 2003
Campeão da Europa – 1994 – 1996 – 1998
Torneio de Montreux – 1993 – 1997
Jogos Mundiais – 1993
Torneio Internacional de Paris – 1997

Torneio do Centenário do F.C. Porto – 1993

Foto: 
Hóquei Minhoto ( arquivo)
Famalicense AC ( site )
Pedro Alves (MundoOK)

Sem comentários:

Enviar um comentário